sábado, 22 de dezembro de 2012

A Astronomia dos Maias

Olááá Astroleitores!!!

Com todo esse burburinho sobre os maias, decidi criar um post especialmente para falar deles.
Observatório Astronômico Maia de Chichen-Itzá, México. (inconscientecoletivo.net)
A civilização maia, que habitava a América Central e viveu seu auge entre os anos 200 e 900, foi uma das mais "cabeças" da antiguidade. Eles eram craques nas Ciências e nas Artes e estavam a frente não apenas das outras civilizações da América, como até dos chineses e europeus. 
Os maias se destacaram em grande parte por suas descobertas astronômicas, feitas apenas com observações visuais. Devido a sua importância cultural e intelectual, os historiadores comparam os maias aos gregos.



Como a base desse povo era a agricultura, utilizavam muito da Astronomia para prever os movimentos dos astros e a evolução das estações. Além da importância dessas observações para sua economia de subsistência, os maias tinham o desejo de dominar as forças e acontecimentos da natureza. Tendo o céu como guia, podiam determinar o melhor dia para um ritual, uma colheita, uma batalha, etc., e, para registrar tais fatos, criaram seus calendários.

Calendário Maia. (correiodeuberlandia.com.br)
O primeiro a se desenvolver foi o lunar, depois, o solar, e por fim a "contagem longa". Os sistemas que registravam a passagem dos dias, semanas, meses regiam a vida cotidiana e religiosa, já o de contagem longa marcava os momentos importantes de sua história.
E assim, cruzando a matemática e a observação do céu, os maias conseguiram determinar com uma precisão incrível a duração dos ciclos lunar, solar e de Vênus. Segundo eles, Vênus passa pela Terra a cada 583,935 dias (hoje, de acordo com os astrônomos, o numero correto é 583,920). Definiram também que o ciclo lunar dura 29,53086 dias (sendo o número correto 29,54059) e o solar, 365,2420 dias (sendo o número correto 365,2422).
Uma das maiores feitos e contribuição dos maias para a matemática foi o conceito de zero, dominado por eles no ano 325, coisa que os europeus só tiveram conhecimento 700 anos depois e que muitas culturas demoraram séculos para conhecer e usar.
Enquanto que os maias, sem instrumentos sofisticados, avançavam nas Ciências, a Europa mantinha-se estagnada em suas descobertas. Os maias já tinham consciência de que a Terra era redonda e que o Sol não era o centro do Universo, coisa que os europeus só vieram a descobrir a partir do século 17 com as observações de Galileu Galileu.

Código Dresden. (anjodeluz.net)
Estudando a história da humanidade, cheguei à seguinte conclusão: Para um reino emergir, outro inevitavelmente deve sucumbir. Então, enquanto os europeus e povos do Oriente desabrochavam, a civilização maia começava a enfraquecer. Foi um processo lento, pois esse povo não era um Império, reino unificado, e sim uma junção de várias cidades-Estado que foram destruídas e caíram separadamente, sendo saqueadas e tendo suas bibliotecas e templos queimados pelos espanhóis.
Sendo assim, não temos conhecimento de todos os estudos e descobertas dos maias, apenas uma parte dele, o que sobrou. A mais importante fonte de informação da matemática e astronomia maia é o Código Dresden, um texto de 39 folhas onde encontram-se os cálculos feitos para a previsão de fenômenos astronômicos.

Dados retirados dos sites...

4 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...