segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Era plana, ficou redonda, mas é geoide!

Boa noite AstroLeitores!

Acredito que dá pra ter uma ideia de quem estou falando só pelo título da postagem... Da nossa querida Terra :D
Parece meio bobo falar sobre isso, discutir sobre a forma do nosso planeta (coisa que já gerou muita confusão antigamente), mas eu acho interessante esse assunto, mostrar a evolução da humanidade, o momento em que a ignorância foi deixada de lado e tudo mais.
Pensando nisso, lembrei das minhas aulas de História da 6ª série em que estudávamos as Grandes Navegações, os países europeus que conquistavam os mares com as caravelas em busca de terras, especiarias e riquezas. A Igreja Católica e o Estado apoiavam muito essas expedições, a Igreja para conseguir mais fiéis e os reis para lucrar com os impostos. Enfim, basicamente todos saíam ganhando, era uma atividade super lucrativa na época, rendia.
Porém, existiam perigos que esses caras que navegavam temiam muito. Naquele tempo, eles acreditavam que a terra era plana, e que quanto mais se afastavam da terra firme mais se aproximavam de um imenso abismo do qual as navegações despencavam; além de monstros horrendos que habitavam essas regiões próximas as "quatro bordas" do planeta. Esses riscos de abismos e monstros, obviamente, eram imaginários; mas de fato existiam os perigos reais, como condições precárias de higiene e alimentação que por sua vez ocasionavam doenças. Algumas navegações não retornavam por conta desses perigos reais enfrentados, mas como os perigos imaginários eram confirmados e incentivados pela Igreja e pelo Estado, somando-se à ignorância das pessoas daquela época desprovidas de qualquer conhecimento, prevaleceram durante muito tempo.
E isso era ótimo para a Igreja e para o Estado, pois evitavam futuras e possíveis especulações, tumultos e oposições por parte do povo - não muito diferente do que ocorre hoje com a mídia e com a política. Eles tentavam manter as pessoas "burras", mas como sempre existem exceções, haviam aquelas que não se conformavam e procuravam a verdade racional acima de tudo. Essas pessoas eram condenadas, cruelmente. Naquele tempo, contrariar qualquer coisa dita pelos religiosos e nobres era como um crime.
Mas então como descobriram que a Terra é redonda?
Eratóstenes, há aproximadamente 285 antes de Cristo, descobriu que a Terra era redonda e mais que isso: conseguiu calcular a circunferência quase que exata do nosso planeta, com uma precisão perfeita para a época.Alexandria era a verdadeira capital do mundo, possuía uma enorme e moderna biblioteca onde Eratóstenes presidiu por um determinado tempo a convite do rei egípcio Ptolomeu III.
Um certo dia, na biblioteca de Alexandria, Eratóstenes leu um artigo bem interessante, onde dizia: Em Siena, mais ao sul de Alexandria, no dia mais comprido do ano (hoje 21 de junho, no pólo norte) precisamente ao meio-dia, o sol não projeta sombra sobre os corpos iluminados.
Como? Pensou Eratóstenes. Como pode um corpo iluminado pelo sol não projetar sombra na cidade de Siena e sempre projetar em Alexandria? Qualquer pessoa poderia ter deixado esse pensamento de lado, mas parece que Eratóstenes, realmente era alfa em muitas coisas.
Eratóstenes sabia que o sol estava tão longe da terra que seus raios chegariam até aqui paralelos, então como explicar que em Alexandria sempre aparecia sombra nos objetos iluminados pelo sol e em Siena não?
Em uma superfície plana isso não era possível de acontecer. Por exemplo, duas varetas, colocadas em locais distintos, devem apresentar o mesmo comprimento de sombra se o mundo fosse plano. Diferenças no comprimento das sombras, disse Eratóstenes, somente poderiam acontecer se a superfície da terra fosse curva, essa era a única explicação plausível.
E mais, no dia mais comprido do ano, Eratóstenes mediu, exatamente ao meio dia, quando o sol ficava a pino em Siena (sombras não eram projetadas), o tamanho da sombra de uma vareta em Alexandria para calcular a diferença de ângulo entre as duas cidades. Isso significa que, na hipótese das varetas serem colocadas tão profundamente, uma em Alexandria e outra em Siena, de modo que ambas se interceptassem no centro da terra, seria formado um ângulo entre elas. Esse ângulo era de (7°).
A diferença do ângulo entre as duas cidades era de exatamente (7°). Como uma esfera completa tem (360°), significa que cabem pouco mais de 50 posições de (7°) na esfera (360:7 = 51,42).
Agora, Eratóstenes precisava saber a distância entre Alexandria e Siena, para isso, ele contratou algumas pessoas para medirem. O resultado foi 800 km.
Multiplicando-se 800 por 50 = 40.000 km, esta foi a medida da circunferência da terra obtida por Eratóstenes. Sabemos que o valor correto atual é de 40.072 Km, ou seja, dois séculos antes de Cristo, usando-se varetas de sombra e cérebro, Eratóstenes mediu com extrema precisão o tamanho da circunferência de nosso planeta.


Hoje, é quase óbvio dizer que a Terra é redonda, mas depois de tanto tempo acreditando que ela era plana, tanto tempo para provar que ela de fato é uma esfera; eis que... a Terra não é completamente redonda. O mapa mais preciso já feito da gravidade da Terra, com informações coletadas pelo satélite Goce, mostra que é Terra não é uma esfera perfeita, e sim um modelo chamado "geoide" 

Um comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...